Fique sempre atualizado!
Cadastre-se e receba nossas novidades em seu e-mail.
Widget by MundoBlogger

segunda-feira, 18 de maio de 2009

12

A Casa Dos Cinco Fogos

A "Casa dos Cinco Fogos", está localizada na Vila Guarani, no município de Ibitinga em SP.
O lugar tem histórico de ser mal assombrado e existe uma história "oficial" sobre o que teria acontecido nesta casa.
Ela carrega esse nome porque pegou fogo cinco vezes desde 16 de Agosto de 1977, quando a então proprietária da casa, recebeu um presente de uma parente sua de Cambaratiba, uma fotografia já amarelada pelo tempo, retratando um grupo de cinco meninas, todas de pé e no meio da foto existia a figura de um pequeno caixão branco com uma criança dentro.
Foi um presente de extremo mal gosto, mas não se sabe o porque, a dona da casa pendurou o quadro em um dos quartos da casa e depois desse dia, tiveram início os acontecimentos sobrenaturais.

Foto do exterior da casa hoje em dia.


Os moradores da casa e alguns parentes que vinham visitá-los começaram a relatar que durante a madrugada, sempre após às 3 da manhã, quando passavam pela sala viam um pequeno caixão branco, como o da pintura, levitando no meio do aposento e que algo dentro dele se mexia fazendo um barulho como se estivesse sussurrando alguma coisa.
No total, 7 pessoas presenciaram esses acontecimentos. Uma delas ainda vive em Ibitinga, seu nome é Jair e trabalha como pedreiro na cidade.

Apesar de tudo, a casa permaneceu sendo habitada pelo casal de proprietários e os fenômenos continuaram a acontecer. Algum tempo mais tarde, na tentativa de acabar com as aparições, os moradores convidaram um médium chamado Zé Lália para conduzir uma seção espírita dentro da casa e durante a reunião, aconteceu o ápice da atividade sobrenatural no lugar, o cômodo onde estava o quadro pegou fogo, segundo as testemunhas, por uma chama azulada que desapareceu da mesma forma que começou, sem nenhuma explicação aparente.
Todos os móveis do quarto foram destruídos, as paredes ficaram chamuscadas pelo fogo, no entanto, o quadro ficou intacto e a pintura da parede atrás e ao redor dele continuava branca como se nada tivesse acontecido.

Foto atual do lugar onde se encontrava o quadro.


Zé Lália nunca mais pisou naquela casa e esse acontecimento marcou a primeira vez que o lugar pegou fogo. Por motivo ignorado, o casal continuou mantendo o quadro dentro de casa, mudando-o apenas de cômodo e no dia de finados do ano de 1981 este cômodo também se incendiou. Mais uma vez o quadro se manteve intacto. Após essa segunda ocorrência, o casal se mudou da casa e colocou o imóvel para alugar. Muitas coisas foram deixadas para trás na velha casa, inclusive o quadro, que ficou guardado em uma caixa dentro de um guarda roupas vazio.

Os inquilínos não ficaram nem um ano na casa. Começaram a dizer que durante a noite, viam "línguas" de fogo passando pelos corredores como vultos, até que um dia, presenciaram a aparição do pequeno caixão branco na sala e na mesma hora saíram correndo da casa sem levar nada. No dia seguinte, quando voltaram para pegar os seus pertences, encontraram a casa completamente queimada por dentro. O Corpo de Bombeiros de Ibitinga havia sido chamado pelos vizinhos e apagou o incêndio durante a madrugada.
Mais uma vez a única coisa intacta dentro do imóvel era o velho guarda roupa, que escondia em uma de suas prateleiras, a caixa com o quadro.

Depois disso, a casa ficou desocupada por muitos anos, ninguém conseguia alugá-la nem vendê-la. Até que em meados dos anos 90, um parente do casal de proprietários se mudou para lá.
Antes que a reforma para recuperar a casa ficasse pronta, ela se incendiou pela quarta vez. Semanas depois disso, o parente do casal que iria morar na casa teve um surto psicótico e foi internado na cidade de Jaú, em uma casa de recuperação de doentes mentais, depois foi transferido para Franco da Rocha em decorrência da gravidade de sua situação.
A partir daí a casa ficou completamente abandonada e ainda pegou fogo mais uma vez. Hoje, ela se encontra no estado em que é mostrada na foto acima, totalmente destruída. O antigo casal de proprietários da casa já faleceu mas o filho deles ainda mora em Ibitinga e é conhecido na cidade como "Tião Padeiro". No início deste ano (2009), uma senhora que é medium e amiga de Tião Padeiro esteve na casa, mas não conseguiu permanecer no local por mais do que alguns minutos. Ela ficou muito nervosa e disse jamais ter sentido uma energia tão negativa. Relatou também que sentiu muito frio enquanto esteve lá dentro.
A lenda e as histórias sobre essa casa continuaram a se espalhar e em Fevereiro deste ano, um grupo de pessoas foi até lá durante a madrugada para investigar o caso. A maioria das fotos mostradas aqui foram tiradas nesta noite.
Segundo o relato do grupo, nada de anormal foi encontrado dentro do imóvel e nenhuma atividade sobrenatural foi presenciada.
As marcas de sombras e luzes que aparecem nas fotos, são possívelmente efeitos da luz das lanternas e do flash das máquinas fotográficas.


Foto do interior da casa. Este NÃO é o quadro mencionado na história.


Mais uma mostrando as marcas do último incêndio.


Mais um dos cômodos.


Localização da casa.


*** O Projeto Neblina agradece ao Luiz e seu grupo que estiveram dentro da casa nas madrugadas do dia 14 e 15 de Fevereiro de 2009 e obtiveram as fotos do interior do local aqui publicadas.