Fique sempre atualizado!
Cadastre-se e receba nossas novidades em seu e-mail.
Widget by MundoBlogger

quarta-feira, 3 de março de 2010

2

Analise Fotográfica




Análise fotográfica: Matrixing ou Paredoilia

Gosto muito de ver na internet fotos de evidências paranormais em potencial. A vontade de muitas pessoas em dividir o que encontraram é surpreendente e é bom quando se pode encontrar grupos que possam oferecer uma análise honesta e objetiva da evidência.

Ao analisar a evidência que nos é apresentada, analisamos cada possibilidade antes de considerá-la uma possível evidência. Ao fazer isso, temos descoberto que há um grave erro feito tanto por pesquisadores paranormais amadores quanto experientes. Muitas vezes, supostas faces demoníacas, aparições, etc., podem ser confundidas com o que se chama, em inglês, de 
matrixing. Matrixing é um termo usado por pesquisadores paranormais para descrever a tendência natural da mente humana de encontrar formas familiares em formas complexas ou cores. Em outras palavras, encontrar um rosto nas formas ou sombras de uma coleção de objetos. Esse efeito é conhecido, em português, como pareidolia.

Você já se sentou quando criança para observar as nuvens passando pelo céu e apontar as formas de rostos humanos ou coelhos? Que tal o homem na lua? Não há realmente a face de um homem na lua. É o padrão complexo de crateras que faz nossa mente formar uma face. Isso é 
matrixing. Matrixing pode ser enganoso, mas se não fosse por essa habilidade, não conseguiríamos reconhecer uns aos outros. Na verdade, é devido aos efeitos do matrixing que conseguimos reconhecer vários tipos de fontes. Se nossas mentes não conseguissem distinguir as nuances sutis de cada letra, então só poderíamos conseguir ler uma única fonte. Infelizmente, também é o matrixing que faz as pessoas verem crânios e faces em galhos de árvores, espelhos, móveis brilhantes, etc.

Então, 
matrixing existe e é um grande problema no campo da investigação paranormal. O que podemos fazer, então, sobre isso? Há alguns modos de identificá-lo e eliminá-lo antes que outra pessoa o faça e isso acabe arruinando a sua credibilidade.
  • Primeiro, olhe o tipo de fotografia que você está analisando. Fotos de árvores, campos, espelhos e vidro são alguns dos principais candidatos para matrixing. Eles incluem padrões e formas muito complexas e, portanto, um alto potencial para que a mente construa um rosto ou um corpo a partir de alguma coisa que não está lá.
  • Segundo, olhe a face ou a figura em potencial. Se é verdadeiramente paranormal, então a face ou figura seria feita de seu próprio material, não do material do qual a foto consiste. Deixe-me explicar. Se a foto é de uma floresta, e sua mente te diz que há um rosto nela. Olhe se a face é feita dos galhos e folhas das árvores na foto, ou se a face está separada delas e é um material completamente separado das árvores.
  • Terceiro, uma vez que você eliminou as duas questões acima, olhe a face ou figura como uma face ou figura real. Olhe as proporções da face. Elas são como um "desenho animado" e desproporcionais ou são realistas? Pessoas com treinamento em arte podem facilmente determinar se uma face tem proporções realistas ou não. Se você não tem esse treinamento, você pode ir a qualquer loja de materiais de arte e comprar um livro que explique essas proporções.
Uma vez que você tomou os passos acima, você pode ter algo que valha a pena olhar. Agora, você tem apenas que determinar se a foto é de uma entidade real ou se é uma fraude. Mas isso é um outro assunto sobre o qual falaremos depois.

Então, não caia na crescente tendência do 
matrixing. Aproveite o tempo para examinar sua própria evidência antes que outra pessoa o faça e chegue à conclusão que você tem uma imaginação excessivamente ativa. Por favor, considere o matrixing antes de apresentar a evidência para o mundo e nos ajude a ganhar mais respeito pelo campo da investigação paranormal.


Fonte: http://cbpp01.blogspot.com/search/label/Análise%20fotográfica

2 Comentários:

CBP disse...

Você não deve esquecer de dar os créditos a quem realmente teve o trabalho duro de pesquisar.
Não é simplesmente copiar e colar.
Obrigado
CBP
Centro Brasileiro de Pesquisas Paranormais

Valdineia disse...

Você tem toda Razão, mil desculpas, ja concertei meu erro.