Fique sempre atualizado!
Cadastre-se e receba nossas novidades em seu e-mail.
Widget by MundoBlogger

terça-feira, 16 de março de 2010

0

Você Conhece Seus Fantasmas?

O que seria um fantasma? Se procurarmos em um dicionário ou num livro técnico, fantasma seria o espírito que sai do corpo de uma pessoa que morreu e ficou na terra, vagando sem um rumo certo ou nem sabe que ja morreu..
O consenso geral segue essa definição de fantasma e os investigadores paranormais e aqueles que buscam sinais ou evidências de fantasmas também acreditam que fantasmas são originados de pessoas que morreram e, por algum motivo, ficaram na terra sem seguir o processo, dependendo da religião de cada um que analisa o fato.
Mas e a assombração? Normalmente se diz que uma assombração é a manifestação de um fantasma. Um fantasma pode se manifestar de várias formas e a cada uma dessas formas seria um tipo de assombração.
Existem 3 tipos básicos de assombrações:
Residual: Esse tipo de assombração costuma ser a mais comum. Consiste em sons, movimentos ou imagens que costumam se repetir sempre em algum horário ou data específicas ou sob certas circunstâncias ocorridas no local. Esses tipos de assombração não possuem interação com as pessoas ao redor e sempre executam a mesma ação até seu término.
Alguns pesquisadores ou investigadores acreditam que uma assombração residual não possui a participação de um fantasmas. Esse tipo de assombração se originaria no acúmulo de energia psíquica no local. Eventos de grandes proporçoes que geram uma grande reação emocional, costumam gerar essa energia psíquica. Grandes festas, acidentes trágicos, guerras, incêndios, mortes são causas comuns para gerar uma energia residual que se perpetua no local por tempo indefinido. Essa energia seria como um filme gravado na época em que houve o ocorrido. Esse filme fica gravado no local e seria exibido continuamente dependendo das condições locais. Simulando os eventos da época, pode ativar uma assombração residual.
Outra vertente, acredita que uma assombração residual seria causada por um fantasma de uma pessoa que não percebeu que já estaria morta. A pessoa morrera e por algum motivo não se deu conta ou não quis se conformar com sua morte e continua vagando pelo local onde morreu ou o local onde costumava viver. Para este fantasma, nada mudou. Ele veria o mundo ao seu redor exatamente como seria quando vivo e nem perceberia a presença de outras pessoas que chegam no local. Uma assombração residual pode perceber leves mudanças em seu ambiente e até notar a presença de pessoas vivas, mas costuma ignorar e não interagir.
Mas o que levaria a um fantasma ficar no local? Não importando qual vertente se segue, podemos considerar que uma asombração residual está associada ou a um local ou a um objeto. Existem locais ou construções que foram feitas em cima de grandes jazidas de minerais como quartzo ou outras rochas de formação ígnea. Assim como num relógio de ponteiro onde o quartzo é uma espécie de acumulador de energia fornecida pela bateria, uma imensa jazida desses minerais pode acumular uma grande quantidade de energia. Essa energia acumulada acaba se manifestando tempos depois, repetindo eventos passados. Um estudo geológico do local pode indicar uma grande possibilidade de ocorrência de assombração residual, mas a mesma pode ocorrer em escala menores sem a presença de tais minerais. Muitas vezes, a própria casa ou algum objeto pode servir como receptáculo para um fantasma se manifestar. Já é comum o conceito de um fantasma estar fortemente ligado a uma pessoa ou objeto e a existência do mesmo mantêm a assombração ativa por anos.
Sensciente: Não tão comum quanto uma assombração residual, mas com um número considerável de ocorrências, a assombração sensciente consiste em fantasmas que podem ou não ter conhecimento de sua morte, mas conseguem interagir com o meio ambiente e as pessoas próximas. Essas assombrações percebem a presença de pessoas e às mudanças que ocorrem no ambiente em que residem.
Muitas vezes, um fantasma sensciente não percebe a presença de pessoas vivas até acontecer alguma mudança considerável no ambiente. Uma casa antiga que passa por um processo de reforma ou renovação, mudança de moradores que alteram a disposição dos móveis ou até mesmo a retirada dos mesmos e até a reabertura de uma casa abandonada pode ativar esse tipo de assombração. Normalmente, nesses casos, o fantasma tende a querer voltar ao status anterior, se manifestando através de sons ou pequenos movimentos na mobília da casa ou em tudo que estiver à sua volta. Acredita-se que a principal intenção desse tipo de assombração não seria atormentar, machucar ou causar aflição nos vivos e sim retornar o ambiente a um status que ele estava acostumado. Se acontece algum evento que perturbe as pessoas que estão presentes, isso normalmente acontece de forma inconsciente para o fantasma. O mesmo não teria noção da consequência de seus atos. Um fantasma sensciente pode ter uma percepção maior do que um fantasma residual, mas não existe nenhum estudo que quantificasse ou qualificasse sua inteligência.
Uma assombração sensciente costuma responder a perguntas feitas ou se manifestar caso requisitado por alguém. O que é preciso ter em mente que nem sempre isso pode ocorrer. Por ser receptivo à mudanças externas, o fantasma pode não querer se comunicar, seja por medo ou por não considerar importante dar atenção para quem tenta se comunicar com ele.
Poltergeist: Esse tipo de assombração é o menos encontrado e o que menos se tem entendimento. Várias hipóteses surgem para explicar o que seriam os poltergeits. Poderia ser fantasmas que morreram de forma violenta ou que eram pessoas que cometeram atos de maldade em vida. Poderiam ser fantasmas que ficaram presos por algum motivo e "perderam" a razão e só querem perturbar os vivos. Existe inclusive algumas opiniões que alegam que poltergeist seriam entidades da natureza, e não fantasmas, que vivenm em locais afastados como castelos ou construções abandonadas que teriam sido retomadas pela natureza. Essas entidades, muitas vezes chamadas de elementais, procuram expulsar os intrusos de sua área.
Não importando a origem ou a essência de um poltergeist, é de comum acordo que esse tipo de assombração seria a mais violenta e com resultados mais drásticos. Não importando as consequências, tais assombrações seriam responsáveis por ferimentos em pessoas, destruição de objetos, danos materiais e danos psicológicos profundos. Como praticamente não existem relatos desse tipo de assombração em construções modernas ou nas cidades, o estudo de tais fenômenos é incompleto, mas pelo menos seria uma garantia de não haver problemas com eles.
A distinção entre os três tipos de assombração não é tão simples quanto se parece. Apesar do terceiro tipo agir de forma mais drástica, pode-se confundir ao analisar os eventos. Uma análise mais contínua e diversificada ajuda a identificar com qual assombração uma pessoa está lidando.

Para ver o artigo original clique aqui

Comentários: